Em jeito de balanço


Há momentos em que se torna necessário redefinir que caminho queremos percorrer num futuro próximo que pode já ser o amanhã. Muitos desses momentos dão-se dias antes do ano virar, porque a entrada num novo ano é como uma lufada de ar fresco nas nossas vidas, onde se traçam novos desejos, novos caminhos, novas esperanças e novas rotas que o ano antigo não nos trouxe. Este ano que passou foi recheado de novos ensinamentos que, de certo modo, construíram a pessoa que hoje sou: uma pessoa mais forte para enfrentar este novo ano que se avizinha. Foi um ano em que tive o prazer de manter na minha vida aqueles que já permaneciam há uns anos e que se mantiveram pelo facto de nem a distância ou o tempo desgastarem os laços que temos criados. Outros entraram para sair passados uns tempos; talvez porque o destino assim o quis, talvez pelos diferentes percursos que quiséssemos traçar e onde neles não estariam contemplados esses outros. E ainda há outros que entraram sorrateiramente no inicio do ano que passou para se fortificarem no final deste mesmo. De certo modo, são estes últimos e os primeiros que me têm dado e mostrado que afinal tenho muito mais valor que aquele que mostro. Por isso, neste novo ano, não desejo novos desejos, espero apenas que seja tão bom como este e que a felicidade destes últimos tempos permaneça, porque sim, agora sou verdadeiramente feliz. E, ainda, que consiga deixar os receios de lado e mostre o quanto realmente valho.

1 comentário:

Pensando com Arte disse...

Como tens andado balança ? *

http://bllmaescritadeumcoracaoviajante.blogspot.pt/
Espero a tua opinião,
Pensando com Arte.