One Day


Um dia aprendes que a vida é feita de constantes acasos, que um dia nos dá os trunfos todos e no dia seguinte nos tira. Um dia aprendes que a pessoa que mais sorri não é a que se encontra mais feliz naquele momento e num outro dia reparas que consegues derramar lágrimas com as alegrias e não só com as tristezas. Um dia aprendes o significado de estar só no meio de uma multidão e o contrário também será válido. Mas um dia a confusão a que estás habituado dará lugar a uma infinita tranquilidade e quando esse dia chegar , dir-lhe-ás: 
-Estava à tua espera, porque demoraste ? 

3 comentários:

Meos Desabafos disse...

Olá! :)
Cá estou (de novo), para fazer um comentário ao teu post...
Depois de ler e reler o teu texto/post, consegui entender o que pretendias transmitir; mas há algo que me está a deixar intrigado...
Durante todo o texto fiquei com a sensação que contas a história de uma pessoa que não tu, mas no final (na última frase), parece que houve um corte repentino (parece que o narrador passa a personagem principal da história - não quer dizer que sejas tu ou que não o tenhas feito propositadamente...).

Será que posso pedir para me satisfazeres a curiosidade e perguntar-te se a pergunta que é feita, pela personagem desta história, é dada a uma pessoa ou a um momento/estado de espírito.
Talvez sejam todas as coisas em simultâneo!

Não penses que achei o texto confuso (pelo contrário). E qualquer pessoa que o leia o há de perceber, mas só os mais "romancistas" (talvez seja assim como me possa classificar), é que procuram encontrar coisas que não se encontram há primeira vista.
E este texto, quer querias ou não, está repleto dessas pequenas coisas, que fazem de meia-dúzia de linhas uma história enorme...

Até à próxima! :)
Beijinhos!!!

ana cristina disse...

Como estou com a minha net super lenta (porque é da zon free e não apanho bem) ainda não consegui seguir o teu blog Adriana, mas vou tentando, prometo! Até porque gostei imenso de o ler e da simplicidade que transmite! :)

inês silva disse...

Eu digo antes: Estou à tua espera, porque não vens?